Cooperxanxerê anuncia a venda de unidades industriais

Cooperxanxerê anuncia a venda de unidades industriais

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Rate this article:
No rating

A cooperativa publicou aviso de realização de ativos para alienação de unidades em Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul

Habilitada para exportar suínos para os mercados da Argentina, Uruguai, Paraguai, Cuba, Equador, Hong Kong e lista geral, as unidades industriais da Cooperxaxerê  atendem ainda o mercado nacional  com unidades de abate e processamento de suínos em Santa Catarina e Paraná e uma unidade de processamento de grãos e fábrica de ração em Xanxerê e em Dourados, no Mato Grosso do Sul . A cooperativa publicou um aviso de realização de ativos para a venda em leilão, que será realizado em Chapecó, no Auditório da ACIC
– Associação Comercial e Industrial de Chapecó, no mês de maio. Hoje a cooperativa tem mais de 150 associados, 600 funcionários e foi avaliada em aproximadamente 140 milhões de reais.
 
O Grupo Cooperxanxerê pretende vender todas as unidades no leilão, em bloco, com a continuidade das atividades da cooperativa. Hoje, a unidade cerealista filial de Dourados com estrutura de beneficiamento e armazenamento de 700 ton/dia e capacidade para até 3.000 ton/mês está arrendada.
 
Na matriz em Xanxerê funciona uma fábrica de rações, além de produção e comercialização de suínos e comércio de milho e farelo. A fábrica tem capacidade de produção de 17 ton/h e a cerealista tem capacidade estocagem 3.000 ton. Hoje a unidade tem cerca de 45.000 Suínos a campo em crechário e terminação. 
 
Uma das unidades do Grupo Cooperxaxerê é o frigorífico Unibon, localizada na cidade de Xanxerê, no Oeste catarinense, tem  capacidade para abater 1064 suínos e desossar 600 carcaças ao dia e tem 250 funcionários. A indústria abate hoje mais de 21 mil animais com média de 2.400.000 kg mensais de carne suína em meio turno.
 
Os produtos da marca Unibon atendem o mercado interno, comercializados em Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Para o mercado externo a unidade está sendo preparada para exportar para os países do Mercosul e uma ampliação visa mercado do Japão, China e da Rússia. 
 
O mais recente investimento do Grupo foi a marca Satiare, com uma moderna área de produção em Nova Prata do Iguaçu, município do Estado do Paraná, para a industrialização  de carnes, com capacidade atual de industrialização de 1.500 ton/mês, podendo chegar até 2.000 ton/mês.
 
A unidade industrial foi projetada para que os produtos Satiare alcancem países do Mercosul e está habilitada para Lista Geral. A Satiare possui mais de 7.800m² de área construída, destinados à produção de alimentos com tecnologia de ponta, e padrões de qualidade para atender exigências do mercado europeu, que estão entre os mais refinados do mundo.  A unidade conta com equipamentos de última geração, importados da Itália, Alemanha e Estados Unidos. Conta, ainda, com um sistema de refrigeração que funciona de acordo com os mais altos níveis de produção. 
 
Os liquidantes Luis Reinaldo Fleck e Adriano Carlos Piasseski declararam que “Desde que o Regime de Liquidação Extrajudicial com Continuidade foi instituído na Cooperativa Xanxerê, a primeira preocupação dos Liquidantes e de toda a Equipe de Apoio à eles vinculados, foi a de manter a Efetiva Continuidade das Atividades e Operações, o que exigiu profundas Negociações com Fornecedores e demais Parceiros Comerciais. Além disto, sempre se teve grande preocupação com a manutenção de procedimentos e decisões absolutamente alinhadas com as exigências da Legislação que rege o Regime de Liquidação Extrajudicial”.
 
“Com relação às Atividades e Operações em si da Cooperativa, têm sido implementadas uma série de ações voltadas à Qualificação de Processos de Gestão e Controles, além de outras voltadas à Otimização de Resultados, podendo-se mencionar a avaliação de alternativas com vistas à substituição do Sistema de Informações Gerenciais, implementação de uma Área de Controladoria, amplo Processo de Reestruturação Comercial, com vistas ao aumento da Base de Clientes, melhor Mix de Produtos quando da Venda, Incremento dos Volumes Físicos de Venda e do Preço Médio e procedimentos internos para Redução das Despesas Operacionais e Administrativas” complementam.
 
Segundo os liquidantes todos estes processos e ações buscam essencialmente a obtenção de melhores resultados econômicos e financeiros da Cooperativa, assim como, qualificar sua estrutura patrimonial.
 
Histórico do Grupo Cooperxanxerê 
 
Fundada em 20 de janeiro de 1997 por um grupo de suinocultores de Xanxerê e região, a unidade matriz da Cooperxanxerê iniciou com armazenamento, beneficiamento e comercialização de cereais e suínos e mais tarde aderiu ao sistema de integração e parcerias com suinocultores, com produção de animais para reprodução e comercialização de sêmen. No ano de 2000 foi construída a fábrica de ração que hoje produz cerca de 17 toneladas de ração/hora. Além dos cooperados parceiros, a cooperativa incorporou outras unidades, Unibon e indústria de embutidos Satiare e a fábrica de ração própria. O quadro de funcionários registra em torno de 600 colaboradores.
 
Veja as imagens na galeria abaixo:
 

Number of views (57)/Comments (0)

Tags:

Please login or register to post comments.

Suínos

Bovínos

Frango/Ovo

Leite e Derivados

Carne e Derivados

Madeira Cavaco

Mercado Financeiro

Box Agrocotações

Cotação (máx)
R$ 60,50
Soja/RS
R$ 61,83
Soja/BA
R$ 63,20
Soja/PR
R$ 63,50
Soja/MT
R$ 64,50
Soja/SC
R$ 68,39
Soja/SP
R$ 18,03
Milho/MT
R$ 27,00
Milho/BA
R$ 27,33
Milho/PR
R$ 30,38
Milho/SC
R$ 30,50
Milho/SP
R$ 31,67
Milho/RS
R$ 62,35
Cana@/SP *
R$ 56,50
Tora/SC *
R$ 155,00
Tora/PR *